Poemas

Deixo Teu Nome nos Muros Caiados



Soltei meus passos
na rua deserta.
Andei nas trilhas de dentro.

A tua casa
não é mais a casa,
mas mesmo assim fui lá perto.

Tudo faz parte
de tudo que fomos.
Hoje a sudade é uma sombra.

Ah, minha amiga,
escuta esse verso.
Sei que a distância nos une.

Põe Vento Negro a tocar e apanha
aquele beijo perdido.

(Ai, essa noite me trouxe de longe
um cheiro bom de outro tempo).


Aquela estrela
ainda é a mesma,
mas já não sei se me olha.

A tua casa
não é mais a casa,
mas mesmo assim fui lá perto.

Dom Minuano
inventa o inverno
o vinho tinto, a lareira.

E um frio de julho
em nossa janela
espalma as mãos contra o vidro.

Deixo teu nome nos muros caiados
deixo teu nome suspenso.

(Ai, essa noite me trouxe de longe
um cheiro bom de outro tempo).


Cadastre-se no portal Escrita Criativa para receber dicas de escrita, artigos e informações de concursos

 

 

Comentários:

Envie seu comentário

Nome :
E-mail :
Cidade/UF:
Mensagem:
Verificação:
Repita os caracteres "424804" no campo.